O dia que desisti do meu apartamento novo, mas não do blog.

E o meu apê novo? Hoje vim contar o desfecho dessa história, uma boa parte eu contei aqui no blog à um tempo atrás, você pode ler aqui. Bom como ficou claro, tive muitos problemas na hora de financiar meu imóvel, primeiro foi o saque do meu FGTS que eu não conseguia fazer, pois o banco criou 2 números de PIS, o que dificultou muito a minha vida, tive que ir 6x até a caixa econômica, até que uma pessoa competente conseguiu transferir as contas para o numero certo de PIS, ou seja, demorou. A segunda parte, é composta por enrolação da empresa facilitadora do financiamento, que (OMG! e como) dificultou tudo. Minha ficha aprovou super rápido o valor do imóvel, cerca de 3 dias eu já sabia que o financiamento tinha sido aprovado, apenas iam fazer a verificação das dividas em meu nome, e fazer a avaliação do valor da parcela (que tem que ser até 30% do salário), enfim essas burocracias antes de assinar o contrato. É ai que começa a parte chata, a empresa do correspondente do banco começou a dar prazos para os documentos irem para São Paulo para a avaliação, prazos que eles nunca cumpriam,  e sempre tinham uma desculpa, uma hora era porque o sistema do banco não estava deixando, ou hora era porque ainda não estava pronto, e assim seguiu, longos 5 meses e meio. No fim, tive que procurar um advogado para fazer as coisas andarem, ele sugeriu fazer uma notificação extra-judicial, e assim foi. Uma semana depois foi liberado o contrato para a assinatura, mas não contei a parte que meu imóvel ficou com juros altíssimos mais INCC, por ter ficado 5 meses sem pagar né? Fora que o condomínio, que me disseram ser R$ 180,00 na hora da compra, ficou pela bagatela de R$380,00, que alias, […]

Continue Lendo

Desanimo, INCC e financiamento.

Semana passada foi bem difícil em vários sentidos, nada deu certo, e eu desanimei muito do apartamento. Acontece que, meu financiamento está rolando faz 3 meses, toda hora aparece um problema diferente. Como eu estou fazendo o financiamento com meu marido, precisamos apresentar o dobro de documentos, ou seja, o dobro de trabalho pra organizar tudo, principalmente porque nem tudo depende da gente! Bom, a pior parte dessa história, é que cada vez que o mês vira, eu pago INCC (um juros que é pago para a construtora sobre o valor do imóvel), essa taxa é prevista no contrato de compra e venda, e não tem choro que faça a construtora mudar de ideia. Foi justamente por causa do INCC que eu desanimei, os meses de Junho e Julho, são os que mais tem porcentagem de juros, o meu deu em torno de 3%, um aumento de quase R$10.000,00 em cima do meu apartamento. Acontece que, eu não sou rica, não casei com um rico, nem tenho pais ricos, eu sou pobre e tenho que suar bastante pra conseguir 10 mil, ou seja, não tenho dinheiro pra dar mais, eu guardei um dinheirinho pra fazer algumas coisas no apê, mas isso não resolvia o problema, então passei a semana passada inteira conversando com a mulher responsável pela venda, pra ver o que ela podia fazer pra melhorar o preço, e depois de uma longa e estressante semana, ela conseguiu reduzir o valor da multa. Eu fiquei feliz e triste, triste por gastar o dinheirinho da reforma com o INCC e feliz por ter de volta um lugarzinho pra chamar de meu. Esse texto longo é pra mostrar que coisas ruins acontecem pra todos, e paciência e persistência são necessárias nessa hora.

Continue Lendo